Please login first
Michelle Reboita   Dr.  Other 
Timeline See timeline
Michelle Reboita published an article in March 2018.
Top co-authors See all
Leila M. V. Carvalho

34 shared publications

University of California

Tércio Ambrizzi

22 shared publications

Universidade de São Paulo

Rosmeri Porfírio da Rocha

14 shared publications

Universidade de São Paulo

Luiz Felipe Silva

13 shared publications

22
Publications
6
Reads
0
Downloads
28
Citations
Publication Record
Distribution of Articles published per year 
(2013 - 2018)
Total number of journals
published in
 
9
 
Publications See all
Article 1 Read 0 Citations Extratropical cyclones over the southwestern South Atlantic Ocean: HadGEM2-ES and RegCM4 projections Michelle S. Reboita, Rosmeri P. da Rocha, Marcelo R. de Souz... Published: 25 March 2018
International Journal of Climatology, doi: 10.1002/joc.5468
DOI See at publisher website
ABS Show/hide abstract
The value added from dynamic downscaling in climate projections of extratropical cyclones over the southwestern South Atlantic Ocean (SAO) is evaluated. For this purpose, the Regional Climate Model version 4 (RegCM4) is nested in the Hadley Global Environment Model 2 ‐ Earth System (HadGEM2‐ES) global climate model under the RCP8.5 scenario. The analyses focus on three time slices: the present (1979–2005), near future (NF: 2020–2050) and far future (FF: 2070–2098) climates. The cyclone tracking used an algorithm that searches for minima of relative vorticity at 925 hPa. Simulations of the present climate are compared to data from an ensemble of five reanalyses (ERA‐40, ERA‐Interim, NCEP‐NCAR, NCEP‐DOE and CFSR). For present climate, there is good agreement among reanalyses and models in associating austral winter and summer with higher and lower cyclone frequency, respectively. In addition, the simulations present the mean features of the cyclones (lifetime, distance travelled and mean velocity) as similar to those of the reanalysis. Moreover, RegCM4 outperforms the HadGEM2‐ES by simulating more realistically the spatial pattern of the cyclogenesis density over the SAO, which indicates value added from the RegCM4 downscaling. For the future climates, a decrease is projected for the annual frequency of cyclones, which reaches −6.5% (−3.6%) in RegCM4 (HadGEM2‐ES) in the NF and −11.4% (−10.4%) in the FF. Future projections do not indicate changes in the mean intensity of the cyclones. The negative trend of the cyclone frequency affects the precipitation. For FF, a decrease of approximately 15% in the precipitation associated with cyclones is projected.
Article 3 Reads 0 Citations Normais Climatológicas Provisórias de 1991 a 2010 para Rio Grande, RS Michelle Simões Reboita, Nisia Kruche Published: 01 March 2018
Revista Brasileira de Meteorologia, doi: 10.1590/0102-7786331010
DOI See at publisher website
ABS Show/hide abstract
Resumo Em janeiro de 1989, a estação meteorológica convencional de Rio Grande, RS, pertencente ao Instituto Nacional de Meteorologia, mudou-se da área central da cidade para o campus da Universidade Federal do Rio Grande. Com os dados dessa estação, no início da década de 2000, foi publicado um livro com as Normais Climatológicas Provisórias (NCP) de Rio Grande, no período de 1991 a 2000, seguindo as normas da Organização Meteorológica Mundial (OMM). Passada mais de uma década dessa publicação, foi possível atualizar esse estudo considerando o período de 1991 a 2010. Portanto, apresenta-se um roteiro para controle de qualidade de dados de estações meteorológicas convencionais de superfície e as NCP de 1991 a 2010 de Rio Grande, bem como uma comparação entre as NCP das décadas 1991-2000 e 2001-2010. Como foi identificada não-homogeneidade nas séries temporais de umidade relativa e intensidade do vento, as NCP não foram computadas para essas variáveis. Rio Grande é uma cidade com pouca variabilidade mensal de precipitação, possui verão quente e inverno frio e, de acordo com a classificação climática de Köppen-Geiger, o clima é temperado sempre úmido e com verão quente (Cfa) e, pela classificação de Strahler, é subtropical úmido.
Article 0 Reads 0 Citations Winds: intensity and power density simulated by RegCM4 over South America in present and future climate Michelle Simões Reboita, Tatiana Rocha Amaro, Marcelo Rodrig... Published: 18 September 2017
Climate Dynamics, doi: 10.1007/s00382-017-3913-5
DOI See at publisher website
ABS Show/hide abstract
Since wind is an important source of renewable energy, it has attracted attention worldwide. Several studies have been developed in order to know favorable areas where wind farms can be implemented. Therefore, the purpose of this study is to project changes in wind intensity and in wind power density (PD), at 100 m high, over South America and adjacent oceans, by downscaling and ensemble techniques. Regional climate model version 4 (RegCM4) was nested in the output of three global climate models, considering the RCP8.5 scenario. RegCM4 ensemble in the present climate (1979–2005) was validated through comparisons with ERA-Interim reanalysis. The ensemble represents well the spatial pattern of the winds, but there are some differences in relation to the wind intensity registered by ERA-Interim, mainly in center-east Brazil and Patagonia. The comparison between the future climate (2020–2050 and 2070–2098) and the present one shows that there is an increase in wind intensity and PD on the north of SA, center-east Brazil (except in summer) and latitudes higher than 50°S. Such increase is more intense in the period 2070–2098.
Article 0 Reads 1 Citation Ciclones em Superfície nas Latitudes Austrais: Parte I - Revisão Bibliográfica Michelle Simões Reboita, Manoel Alonso Gan, Igor Stivanelli ... Published: 01 June 2017
Revista Brasileira de Meteorologia, doi: 10.1590/0102-77863220010
DOI See at publisher website
ABS Show/hide abstract
Resumo Com o objetivo de organizar o conhecimento sinótico sobre ciclones em superfície em latitudes austrais, este trabalho (o primeiro de um conjunto de dois) apresenta uma síntese das principais características de quatro tipos de ciclones: extratropical do tipo Bjerknes e Solberg, extratropical do tipo Shapiro e Keyser, tropical e subtropical. Ao longo do texto são apresentados modelos conceituais bem como os mecanismos de ciclogênese, intensificação e ciclólise de cada tipo de ciclone. As principais diferenças entre os quatros tipos de ciclones em superfície estão nas estruturas horizontais e verticais dos campos de temperatura e vorticidade relativa. Palavras-chave: ciclones extratropicais; ciclones subtropicais; ciclones tropicais; ciclo de vida; Hemisfério Sul
Article 1 Read 0 Citations Características da Atmosfera na Primavera Austral Durante o El Niño de 2015/2016 Heloisa Ramos Pereira, Michelle Simões Reboita, Tércio Ambri... Published: 01 June 2017
Revista Brasileira de Meteorologia, doi: 10.1590/0102-77863220011
DOI See at publisher website
ABS Show/hide abstract
Resumo O El Niño (EN) é caracterizado pelo aquecimento anômalo das águas superficiais do oceano Pacífico Tropical central e leste que afeta o clima global e regional através das anomalias da circulação da atmosfera. O EN 2015/2016 foi classificado como um evento muito forte. Portanto, esse estudo tem como objetivo mostrar as características da atmosfera durante a ocorrência desse evento nos meses de setembro, outubro e novembro de 2015. Entre os resultados, têm-se o deslocamento para leste da célula de circulação zonal de Walker, intensificação dos jatos subtropical e polar, presença de anomalias positivas de altura geopotencial no oceano Pacífico próximas ao sul da América do Sul e anomalias negativas no sudeste desse continente e no oceano Atlântico. Além disso, há maior frequência de ciclones nas latitudes subtropicais do oceano Atlântico e convergência do fluxo de umidade integrado na vertical sobre o sudeste da América do Sul. Essas características contribuem para anomalias de precipitação e temperatura do ar na América do Sul. Palavras-chave: El Niño; correntes de jato; precipitação; Hemisfério Sul
Article 1 Read 0 Citations Análise Sinótica e Energética de um VCAN que Causou Chuva no Deserto do Atacama em Março de 2015 Michelle Simões Reboita, José Augusto Paixão Veiga Published: 01 March 2017
Revista Brasileira de Meteorologia, doi: 10.1590/0102-778632120160019
DOI See at publisher website
ABS Show/hide abstract
Resumo Os Vórtices Ciclônicos de Altos Níveis (VCANs) subtropicais são sistemas de baixa pressão em médios e altos níveis da atmosfera, com centro frio e que se encontram segregados para o lado equatorial das correntes de jato. A divergência de massa no setor a jusante dos VCANs pode organizar os movimentos ascendentes na atmosfera e precipitação. Diante da contribuição dos VCANs para alterações no tempo e os poucos estudos desses sistemas na literatura, o presente trabalho descreve a evolução sinótica e energética de um VCAN que causou evento extremo chuvoso no deserto do Atacama, entre os dias 24 e 26 de março de 2015. Para o desenvolvimento do estudo foram utilizadas a reanálise NCEP/DOE, dados de precipitação do TRMM e informações do satélite GOES-13. Entre os resultados têm-se que a advecção horizontal de vorticidade relativa anticiclônica é importante para amplificar a crista que adentra o setor sudoeste/sul do cavado em 300 hPa fazendo com que o ar frio fique aprisionado em latitudes mais baixas, contribuindo para a formação do VCAN. A energética de Lorenz mostrou que o ambiente ao qual o VCAN estava inserido participou de forma importante no ciclo de vida do VCAN. Por exemplo, na fase de VCAN, os processos baroclínico, barotrópico e de fluxo na fronteira atuaram como fonte de energia cinética do distúrbio ( KE ). Palavras-chave: VCAN; deserto do Atacama; análise sinótica; ciclo de energia de Lorenz